Tecno Pumpen

Tecno Pumpen Comércio e Serviços Ltda.

Escopo


1.0 - Desmontagem Completa do Motor:
- Os Motores serão totalmente desmontados para avaliação elétro-mecânica por profissionais da área.
Obs.: Procedimento aplicado somente nos casos de equipamentos montados.

2.0 - Remoção das Bobinas ( Corte ):
- As Bobinas danificadas serão removidas através de máquinas específicas ( rompedores e talhas ), tanto para o corte quanto para o saque, auxiliada pôr solventes evitando assim danificar a carcaça ou o núcleo de aço Silício do estator ou Rotor.

3.0 - Preparação do Rotor/Estator para Bobinagem:
- Após completa limpeza do rotor e do estator no interior de suas ranhuras através de jateamento por óxido de alumínio, aplica-se o material isolante de acordo com o especificado previamente, isolamento classe "f" ( 155º ) ou "H"(180º), também após limpeza do coletor são feitos ensaios de indução magnética(LOOP-TEST) nos núcleos de aço silicios do estatores e rotores quando houver suspeita de possível curto-circuito

4.0 - Dados de Bobinagem:
- Quando se tratar de motores de fabricação "WEG", independente de sua originalidade ou procedência o mesmo será rebobinado sob consulta ao programa de Cálculo de Bobinagem WEG ( Software ), cumprindo-se assim sua originalidade. Nos casos dos motores de outras marcas, será consultado banco de dados ou fielmente copiados.

5.0 - Rebobinamento:
- Após a fabricação das bobinas em máquinas bobinadeiras elétricas com contadores programáveis,os motores serão rebobinados com materiais isolantes compatíveis com o já especificado.
Ex: Fios esmaltado classe H, poliester e calços classe F, amarrações com fita de fibra de vidro, cintas e Bandagens em fiberglass e cabos de saída EPR ou SILICONISADOS. E por profissionais competentes.

6.0 - Impregnação:
- A principal função da impregnação do motor com verniz eletroisolante é preencher os espaços vazios entre os fios do bobinado, aumentando a dissipação de calor e evitando o aquecimento demasiado do enrolamento.
- A impregnação auxilia ainda à manter o bobinado rígido e compacto evitando o movimento mecânicos dos fios, que existiria no momento de energização do motor e em conseqüência da vibração da máquina onde o motor está acoplado.
- Os motores serão pré aquecidos e impregnados à vácuo ( quando se tratarem de carcaça normalizadas ) ou a imersão obedecendo sua classe de temperatura.

7.0 - Cura ( Tempo de secagem ):
- Será realizada através de estufa controlada (tempo X temperatura) e em concordância com os procedimentos com os fabricantes de vernizes conforme tabela à seguir.

8.0 - Balanceamento Eletro-Dinâmico: ( ABNT - NBR 8007-8008)
- Inspeção dos rotores quanto ao desbalanceamento, os que apresentarem desbalanceamento são submetidos a balanceamento dinâmico de simetria nos planos 1 e 2 evitando assim possíveis vibrações ao equipamento e aumentando a vida útil do conjunto ( Ex.: Rolamentos, Buchas, Mancais, Bases, Tampas e etc...)

9.0 - Montagem do Motor:
- Todos os componentes e partes principais são montados de acordo com o original e obedecendo suas formas construtivas.
- Após soldagem do coletor, passe , retífica e rebaixamento de mica nos casos de Armadura C.C.

10 - Testes ( Ensaios ):
- Serão realizados os seguintes ensaios..

A - Resistência Ôhmica:
* Equipamento: Ponte LCR.
* Procedimento:
- Realizar a medição das resistências entre fases ou Pólos e dos interpolos e verificar o equilíbrio. Esta medição deve ser feita antes da impregnação.
- Medir Resistência ôhmica da armadura tomando-se dois pontos do comutador

B - Teste em Vazio:
* Equipamento: Painel de teste até 300cv na tensão nominal (220/380/440v).
* Procedimento:
- Ligar o motor em vazio, com tensão e freqüências nominais, e verificar o equilíbrio das correntes. Para motores IV, VI e VIII pólos, este equilíbrio não deve exceder ao limite de 10%. Para motores de II pólos, o equilíbrio máximo admissível é de 20%.
Obs.: Procedimento aplicado somente nos casos de equipamentos montados.

C - Resistência de Isolamento:
* Equipamento: Megôhmetro digital ( 500 à 5000V ).
* Procedimento:
- Juntar os terminais do motor.
- Conectar o terminal positivo do aparelho nos cabos de ligação e o terminal negativo na carcaça.
- Aplicar a tensão de ensaio durante um minuto e efetuar a medição da resistência de isolamento.
- Consideramos que o motor estará apto a entrar em operação se o valor de resistência de isolamento for superior a 100MegaOhms.

D - Analise Mecânica:
* Equipamento: Analisador de vibração.
* Procedimento:
- Verificar os limites de tolerância radial e axial quanto ao desbalanceamento de acordo com a tabela do fabricante.
Obs.: Procedimento aplicado somente nos casos de equipamentos montados.

11 - Pintura de acabamento:
- Nos casos de rotores aplicação de tinta fundo protetivo antes do rebobinamento e aplicação de Laka nitrocelulose no núcleo do estator após o rebobinamento.
- Na carcaça, aplicação de tinta industrial para acabamento na cor pré-selecionada.

12 - Rastreabilidade:
- Aplicação de placas adicionais de identificação independentes da já existentes no motor que após numeradas se arquiva toda nomenclatura do motor, serviço executado, valores de ensaio e suas respectivas datas, possibilitando assim informações para que a indústria crie "históricos" sobre o motor e aplique sua posterior manutenção preventiva sem que para isso tenha que recorrer a parte contábil da Empresa afim de informações sobre o serviço executado

13 - Relatório de Ensaio:
- Serão emitidos relatórios de ensaios a cada motor constando os valores de medição encontrados, serviço executado, descrição do produto, data e número de sua rastreabilidade